Um amor insano

Estava apaixonado por sua Opinião. Era um amor intenso, daqueles que não enxerga defeito. Ela era linda e perfeita, haviam sido feitos um para o outro.

O tempo passava e o amor só crescia, não era uma simples paixão. Perdeu amizades, que tiveram a ousadia de lhe susurrar aos ouvidos, muito discretamente, que sua Opinião não era honesta e que aquela relação não tinha lógica.

Onde já se viu criticá-la? Ela havia nascido para ele, que não tinha olhos para mais ninguém.

Esse amor insano sobreviveu inclusive a acusações sérias, acompanhadas de fotografias, que mostravam sua Opinião lhe traindo com os fatos. ‘O flagrante é fake’, pensou ele, ’em tempos de fotoshop, tudo é possível’. E continuou convicto na sua relação ensandecidamente doentia. Que amor.

Os mais próximos faziam troça da situação quando ele não estava presente. ‘Corno manso’, diziam. Mas o alvo de suas críticas, ácidas e ferozes, era mesmo a sua Opinião. ‘Falsa e mentirosa’. Ela conseguiu afastá-lo dos amigos.

Nada o fez mudar de Opinião. Seguiu a vida, apaixonado segundo ele, ludibriado, segundo outros. Encontrou amigos que simpatizavam com seu amor, os antigos que a desdenhavam ficaram pelo caminho. Ainda via esporadicamente alguns poucos, mas sempre sozinho. Sabia que nesses casos, para manter uma amizade antiga, teria sempre que vir desacompanhado. Deixava a sua Opinião em casa.

Contrariando todas as previsões, viveram felizes para sempre.

1 Comment
0

1 comentário

  1. Avatar

    Sonia Maria Pedrosa Silva Cury

    11 de fevereiro de 2019 em 08:51

    Que ótimo, Victor! Muito bom!
    Parabéns!
    Abraços,
    sonia.

Deixe uma resposta

Send this to a friend