A nova e inovadora lei da DR ( discussão de relacionamento)

image

Tramita no Congresso uma lei que revolucionará as relações matrimoniais no Brasil: é a lei da DR (discussão de relacionamento). “Após a aprovação da lei da palmada, o Estado brasileiro agora prestará um serviço extraordinário às nossas famílias, visando à redução do número de divórcios e a manutenção de estruturas familiares saudáveis”, disse um senador empolgado com a rápida tramitação dessa nova proposta. “ Será aprovada com folga em ambas as casas”, garante outro, não menos entusiasmado.

Quando sancionada, ela limitará o número de DRs que um casal pode ter no mês e os obrigará a catalogarem um resumo das mesmas em um banco de dados, com os resultados de cada conversa formalizados e com firma reconhecida de ambas as partes. Também será proibido que um assunto já resolvido seja discutido novamente pelos próximos 12 meses. “Nós queremos diminuir o stress das relações e tornar as conversas mais objetivas. A nova lei caminha nessa direção, o Brasil estará novamente na vanguarda do mundo quando o assunto é proteção das famílias”, disse um deputado que apoia o projeto. Ainda está em aberto se o limitante de DRs será 3 , 4 ou 5. Esse é o único aspecto que parece gerar alguma divergência entre os congressistas, pois a bancada feminina está fazendo pressão para que esse número seja 6. “ Uma DR a cada 10 dias está de bom tamanho”, defende o senador Ciclano do Partido X, no que é contestado pela deputada Beltrana, do Partido Y, que alega que  uma a cada cinco dias é o ideal. A comissão parlamentar da família solicitará um parecer de psicólogos especializados em terapia de casal para fechar a questão.

imageOs casais que transgredirem os limites da lei deverão automaticamente submeter-se a dez sessões de terapia, com psicólogos afiliados à ´Terapiabrás´, última estatal criada pela presidente Dilma, que monopolizará o exercício da atividade no país. Em sua fase pré-operacional, a ‘Terapiabrás’ já cadastrou mais de 5 mil profissionais habilitados a exercer a função. Na hipótese dos casais não cumprirem com essa obrigação, terão seus passaportes cancelados e uma multa de R$ 1.000 mensais será aplicada. “ O objetivo é estimular o bom comportamento dos cidadãos por intermédio de punições financeiras e restrição a alguns de seus direitos tradicionais´, disse o relator do projeto. Cada sessão custará ao casal R$ 150, preço considerado inferior à média do mercado. O governo já anunciou duas medidas para facilitar a sua disseminação: isenção de ISS, PIS e Cofins, que pode reduzir o valor da sessão para até R$ 130, e a criação do ´bolsa terapia´, que beneficiará casais com renda conjunta inferior a R$ 3.000/mês. “O meu governo está do lado das famílias”, disse em pronunciamento à nação a presidente Dilma, que já garantiu que sancionará a inovadora legislação na íntegra.

A confusão se dá no âmbito da Terapiabrás. A Associação Brasileira dos Psicólogos entrou com pedido de investigação na Câmara dos Deputados, alegando que a concepção da estatal se deu com amplo favorecimento a profissionais próximos dos partidos da coalizão governista. “A Terapiabrás será uma fábrica de arrecadar milhões para os amigos do rei”, protestou coléricamente o presidente da Associção. “ Temos como provar que os critérios de seleção dos profissionais estão enviesados propositalmente e que a direção da empresa está cobrando propina irregular de todos os seus afiliados”. “ Será o primeiro caso de CPI que iniciará os trabalhos antes mesmo da estatal começar a funcionar”, afirma o deputado Beltrano, líder da oposição. Foi identificada uma conta com depósitos milionários em nome do presidente da Terapiabrás nas Ilhas Cayman, o que pode ser um índicio de que a oposição terá êxito em sua empreitada. As próximas semanas prometem ser intensas no Congresso e a CPI da Terapiabrás causará tanto barulho quanto a da Petrobrás.

“ Se essa lei existisse há algumas décadas, talvez eu não tivesse me divorciado”, destacou a presidente em seu pronunciamento ontem. “Meu casamento estaria protegido pela tutela exemplar do estado, é isso que pretendemos fazer”. Entretanto, pessoas próximas a ela afirmam que nem a lei da DR teria salvo seu casamento. “ O problema ali não era a quantidade das DRs, mas o fato de que o ex-marido da presidente não era versado em dilmês”, disse uma fonte que suplicou para não ter seu nome divulgado.

“O Bolsa Terapia será mais uma contribuição extraordinária aos mais desfavorecidos”, afirmou o ex-presidente Lula, para quem essa lei será um marco para humanidade, pois abrangerá todos os tipos de casais, de todas as idades. “Devíamos ampliar a lei também para quem está namorando, assim começamos a disciplinar as futuras famílias antes mesmo de se formarem”, reiterou o relator do projeto. “Mas isso será tratado posteriormente, pois sua implantação é um pouco mais complexa”.

“Daqui a pouco o governo vai querer regular a quantidade de cocô que os bebês fazem”, disse um estupefato e quase solitário deputado Fulano da Silva. “ O estado não pode se meter em tudo, já temos leis demais, e as cumprimos de menos. Nossa sociedade é regida por um emaranhado inexplicável de leis, criando milhões de casos litigiosos não resolvidos. Deixamos de nos preocupar com o quê realmente é importante”, foi um dos trechos mais críticos de seu discurso no plenário da Câmara ontem. Ninguém lhe deu ouvidos. Pregou no deserto. Viva a lei da palmada, a lei da DR e tantas outras leis que ainda virão…!

image

*******************O texto acima é uma ironia à mania nacional de querer resolver tudo criando leis, muitas vezes sobrepondo-se a outras já existentes que poderiam tratar do mesmo assunto. Nosso amor às leis é proporcional à nossa paixão pelo Estado intrometido e tão intensa quanto a nossa criatividade para burlá-las. Precisamos nos tornar mais simples e pragmáticos para criar um país melhor!!!!!!********************

2 Comments
0

2 Comentários

  1. Avatar

    Marcia

    7 de junho de 2014 em 01:08

    O texto é uma ironia à mania nacional de….mas garanto que muitos homens gostariam de ter o número de DRs diminuído e controlado dessa maneira. Prova disso é que o autor dessa suposta lei é um homem e quem escreveu o texto, também. Certamente, mulher não teria a ideia de reduzir….pelo contrário!!!!

  2. Avatar

    Marcos eduardo

    30 de junho de 2014 em 17:54

    eu só acho que deveria ter uma multa, caso se excedesse o número de DRs… kkkk

Deixe uma resposta

Send this to a friend