A Flórida brasileira e a Amazônia americana

image

Muitos anos se passaram desde que os governos brasileiro e americano efetuaram a inédita transação da troca da Flórida por um pedaço da Amazônia brasileira. Contestada em sua concepção, a inusitada situação hoje está assimilada inclusive por seus detratores. Com áreas equivalentes, o Brasil herdou uma crescente população hispano-americana no hemisfério norte, Miami como seu pólo de negócios mais promissor e a espetacular receita com o turismo de Orlando. Já os americanos conquistaram a possibilidade de explorar comercialmente a riquíssima biodiversidade tropical, além de absorverem Manaus, a maior cidade do planeta localizada dentro de uma selva. A seguir, algumas das manchetes que ilustraram a história desse surpreendente escambo de geografias…

image

– ´A Flórida agora é nossa! O trabalhador brasileiro poderá passar as férias na Disney todos os anos´, afirma euforicamente Lula, mentor da transação;

– Obama diz que Amazônia americana contribuirá para o desenvolvimento da Medicina e Farmacologia, objetivos de longo prazo dos Estados Unidos;

– Governo brasileiro cria o ´Bolsa Disney´ sob protestos da oposição;

– Estados Unidos planejam criar maior parque temático do mundo no meio da selva amazônica;

– Empresários da Amazônia americana animados com a nova legislação tributária: ´Ficou mais fácil investir!´;

– Disney reclama formalmente com o Governo brasileiro sobre a nova carga tributária: ´Nossa rentabilidade cairá 30%´, afirma seu principal executivo. Ministro da Fazenda avalia isenção fiscal temporária;

– Cidadãos da Flórida recebem cartilha para aprender a cumprimentar com abraços e beijinhos no rosto;

– Começa hoje reality show com a tribo dos Ianomamis na CBS, em horário nobre;

– Governo afirma que o Bolsa Disney é um sucesso e 1 milhão de pessoas carentes já foram a Orlando conhecer o Mickey Mouse;

– Empresas de turismo americano oferecem pacote de ´surf e mergulho na pororoca´. Vendas triplicam;

– Moradores de Manaus tem a melhor qualidade de sinal 4G do hemisfério sul;

– Moradores da Flórida reclamam da queda de qualidade nos serviços de telefonia. Telefônicas contestam dizendo que é o melhor do ´Brasil´;

– Governo brasileiro facilita a imigração de médicos cubanos para Flórida. Associação de médicos local reclama e pede ajuda ao presidente americano, que responde dizendo que a Florida agora não é mais problema dele;

– Primeiro ´pancadão´ nas areias das praias de Miami foi um sucesso de público;

– População de Manaus reclama da falta de ´jeitinho´ nas repartições públicas;

– Obras do parque temático na selva amazônica em ritmo acelerado;

– Índice de homicídios em Miami duplica. Autoridades culpam a crise internacional;

– Com nova legislação tributária, Apple diz que vai construir fábrica em Manaus;

– EUA inauguram centro de pesquisa em biologia e medicina na região metropolitana de Manaus. Investimento será superior a US$ 1B;

image

– Resultado operacional da Disney cai pela metade e empresa negocia empréstimo com o BNDES;

– ´Pagamos 3x mais impostos e lucramos 3x menos´, reclama o CEO da Disney, que pediu demissão e asilo nos EUA;

– Manaus tem o maior PIB per capita do hemisfério sul;

– Sambódromo da Avenida Collins será maior que o do Rio;

– Mais de 100.000 pessoas no primeiro desfile de escolas de samba de Miami. Acadêmicos da velha Havana são os campeões;

– BNDES aporta US$ 5B na Disney com condição de que a empresa apoie o programa ´Parque para todos´;

– CPI da Disney deve ser instalada no Congresso. Suspeita de desvio de milhões para financiamento da base aliada;

– Centro de Pesquisa de Medicina em Manaus conta com 5 prêmios Nobel em seus quadros. Avanços significativos para o tratamento do Mal de Alzeihmer;

– Amazônia americana é ´swing state´ e pode decidir eleição;

– Candidatos dos Partidos Democrata e Republicano fazem campanha na tribo dos Ianomamis;

– Ianomamis ganham milhões licenciando produtos e direito de imagem;

– Cacique ianomami entra para lista de bilionários da Forbes;

– Polícia Federal apreende documentos que comprovam o esquema Disneylão. Magic Kingdom é fechado por tempo indeterminado;

image

– Chefe da casa civil afirma que presidente não sabia de nada sobre o Disneylão, mas que os responsáveis serão punidos;

– CPI do Disneylão será presidida por aliado do governo. Oposição protesta;

– Tea Party entra com notificação na Suprema Corte americana exigindo que os índios da Amazônia vistam roupas. Exigem que a nudez seja proibida;

– EUA param para assistir ao julgamento do caso sobre a nudez indígena. ´É uma afronta aos costumes´, diz o representante do Tea Party;

– Lobby das empresas de turismo prevê derrota do Tea Party. ´Índios vestidos trariam enorme prejuízo à economia da Amazônia americana´;

– Tea Party é derrotado. Ianomamis podem andar pelados. ´Temos que respeitar a diversidade cultural´, afirmou um juiz da Suprema corte;

– Orlando City é campeão brasileiro de futebol. Adversários reclamam de orçamento estratosférico e acusam o time de beneficiar-se do esquema do Disneylão;

– Fluminense entra com recurso no STJD para anular o título do Orlando City;

– ´Amazon Adventure´, maior parque temático do mundo, é inaugurado na selva amazônica;

– Cidade de 200.000 habitantes se desenvolve ao redor do ´Amazon Adventures´;

– PIB da Amazônia Americana já é maior que o da região Norte e Nordeste do Brasil juntas;

– Riqueza da Amazônia Americana contrasta com pobreza do outro lado da floresta. ´Mas aqui o índio é respeitado´, afirma um político brasileiro da região;

– Governo promete a construção de um grande parque temático no semi-árido do Nordeste. Com a Disney em dificuldades financeira, negocia com a Universal Studios;

image

– Análise financeira considera parque no semi-árido inviável. Governo diz que vai bancar a obra. Oposição questiona de onde virão os recursos. Governo alega que BNDES fornecerá empréstimo subsidiado para 50% do valor e abre concorrência para o restante;

– Leilão para concessão do ´Sertãoland´ fracassa. ´Retornos eram muito baixos´, afirma empresário, que pediu para não ser identificado;

– Com o fracasso do leilão, Tesouro aportará o restante dos recursos para o ´Sertãoland´;

– Ex-profissionais da Disney são expatriados e contratados pela ´Amazon Adventure´. Fluxo no parque cresce 50% ao ano;

– Manaus é a primeira cidade do hemisfério sul a tratar 100% do esgoto;

– Após ser privatizada, Universidade do Amazonas já tem os melhores cursos de Biologia e Engenharia Florestal dos Estados Unidos;

– Obras do ´Sertãoland´ atrasadas. Presidente quer fazer inauguração simbólica para usar na campanha eleitoral;

– CPI do Disneylão: pizza à vista;

– MST invade condomínios de alto luxo em Miami. Imigrantes cubanos lideram a ocupação: ´São propriedades improdutivas, as pessoas só vem aqui nas férias´, afirmou à imprensa floridiana;

– Analfabetismo erradicado na Amazônia Americana;

– Miami é a terceira cidade mais violenta do Brasil. Índices de homicídos quadruplicam em relação ao final do período americano. Governador cubano-brasileiro afirma que a culpa é da desigualdade social;

– Vendedores de limonada e mate reclamam da queda do movimento nas praias de Miami por conta dos arrastões;

– Disney quer fechar dois parques e culpa o ´Bolsa parque´. Governo diz que informações são manipuladas e que os empresários da Disney, acostumados com o lucro fácil, querem explorar o Brasil;

– Novo aeroporto de Manaus é o maior das Américas;

– ´Amazon Hunters´ chegam à final do Superbawl. Índio Ianomami é o seu principal jogador;

– Cariocas reclamam da competição com o carnaval de Miami. ´Não é tão animado e dançam mais salsa que samba´;

– ´Salsaxé´ domina a programação das rádios. É o novo ritmo da moda;

– Globo transfere Projac para Miami a pedido dos autores de novela;

– Empreiteiro envolvido no ´Disneylão´ é condenado. Políticos pegam pena leve;

– Ganhador do Prêmio Nobel de Medicina é do Centro de Pesquisa de Manaus;

– Migração de menores delinquentes americanos para a Flórida preocupa Governo brasileiro;

– Produtividade em Manaus já é o triplo daquela registrada em São Paulo;

– ´Amazon Adventure´ inaugura parque aquático às margens do Rio Amazonas;

– Obras do ´Sertãoland´ abandonadas. Prestadores de serviço alegam que o governo não os paga há três meses;

– ´Amazon Adventure´ faz oferta pela compra da Disney. Nacionalistas se inflamam e alegam que o capital internacional quer destruir o Brasil;

– Campanha ´O Mickey é nosso´ prolifera nas redes sociais;

– Governo brasileiro estatiza a Disney;

– Mesmo com ingressos mais baratos, movimento em Orlando cai 40%. Público alega que falta de manutenção nos parques é a principal razão;

– Oposição é favorável à privatização da Disney. Governo contesta e afirma que ela é patrimônio do povo brasileiro;

– Cubanos já são 35% da população da Flórida. Brasil concede visto de permanência definitiva e estreita relações com a ilha caribenha. Antigos moradores emigram para os EUA;

– PIB da Amazônia Americana seria o terceiro maior do Brasil;

– Epidemia de dengue assusta moradores de Miami;

– Governo estuda conceder redução permanente de ISS para salvar a Disney;

– Autoridades desmentem venda da Flórida para os EUA: ´é hoje um estado muito mais alegre´;

– Furacão pega a Florida de surpresa e causa grandes estragos. ´População não se preveniu corretamente´, afirmam autoridades.

– População aprova e assimila ´Amazônia Americana´, seu Alaska tropical, mas índios pelados ainda geram polêmica;

image

Obviamente que o texto acima é uma grande brincadeira, mas carrega em sua essência algumas verdades. A comparação com os EUA é uma provocação aos ´americanófobos´, que julgam que todo mal do mundo emana da terra do Tio Sam. Eu, como ex-morador e com parte da família americana, vivenciei sua cultura pragmática, realizadora e de resultados, bem como suas contradições do ponto de vista social, e quando me deparo com o período pré-eleitoral brasileiro, só tenho a lamentar nossa posição de atraso institucional em relação aos gringos.

Longe de ser o paraíso na terra, os EUA já superaram muitos dos problemas que ainda afligem as bandas de cá e estão longe de serem resolvidos. Infelizmente, a qualidade do debate eleitoral sinaliza que se não podemos considerá-los como perenes, teremos que conviver com eles por gerações a fio. Ouvimos alguma discussão sobre saneamento básico, presente somente em 50% dos domicílios brasileiros? E sobre a erradicação do analfabetismo, que cresceu nos últimos anos e representa inaceitáveis 11% da população? Isso sem mencionar o analfabetismo funcional, que chega a 30%. Que tal falarmos sobre saúde pública, reforma tributária, melhoria do ambiente de negócios, ganhos de produtividade?

Nada disso. A conversa aqui gira em torno de factoides. Contam as frases de efeito. Importa o marketing, o conteúdo é irrelevante. O que esperar de um país onde a média de escolaridade é de 7,2 anos, a menor da América do Sul? Em contraste, a média americana, de 13,8 anos é a maior do mundo…

A população está cansada de ouvir promessas de mudanças por todos os lados. Se ela vier, é bom que se diga, será um trabalho de formiguinha, que ocupará gerações. Sob muitos aspectos, o Brasil até excede às expectativas realistas, e alguém poderia se perguntar como fomos tão longe com tantos problemas. É um modo de ver, talvez um pouco ufanista. Os inconformados se indignam com o desperdício de potencial e se frustram por não ver o Brasil caminhar mais rápido, deixando no passado o ritmo de tartaruga nervosa…

1 Comment
0

1 comentário

  1. Avatar

    sonia pedrosa

    17 de outubro de 2015 em 08:57

    kkkkkkkkkkkkkk muito bom, Victor, como sempre!
    sonia pedrosa

Deixe uma resposta

Send this to a friend