De Jair para Luis Ignácio: uma carta fictícia

Bom dia, Luis Ignácio

Lamento que esteja preso e não possa assistir ao meu triunfo, ao vivo, nesse Domingo. Terá que se contentar com as chamadas da pequena TV instalada em seu cubículo, uma regalia para presos importantes e famosos.

Escrevo essa carta para lhe agradecer, e muito. Eu lhe prometo minha eterna gratidão. Afinal, você me criou e só estou aqui por sua causa. Não fossem seus inflamados discursos fomentando o ‘nós x eles’ e o assalto aos cofres públicos promovidos pelos seus correligionários, a essa altura eu estaria disputando meu oitavo mandato de deputado federal. Mas vocês me resgataram do baixo clero, onde eu era sub celebridade, e me alçaram à condição de protagonista em âmbito nacional.

Sei que até há pouco tempo eu era desprezado, e isso não me surpreende. Afinal, a companheirada se destaca pela soberba, não conseguem sequer fazer uma auto crítica pela era da industrialização da roubalheira, quanto mais respeitar adversários sem estrutura partidária ou tempo de TV. Mas isso também foi bom para mim. Acostumados a polarizar com os frouxos tucanos, vocês não se prepararam para enfrentar o inusitado. Minha infantaria virtual não deixa nada a desejar à sua, inclusive no jogo rasteiro. Vocês estão desnorteados, reconheça!

Sei que está angustiante acompanhar o processo eleitoral da cadeia, sem chance de sair por aí falando as bobagens que lhe dá na telha, como você gosta de fazer. Seus discípulos não tem o seu carisma e não raro batem cabeça. Aliás, dizem que o PT sem o chefe se fragmentará, e ficarei muito honrado se eu puder ajudar nessa empreitada.

Também queria lhe agradecer pela escolha do seu poste. Ele foi surrado na eleição para prefeito de São Paulo, mesmo no exercício do cargo, o que é um feito para poucos, convenhamos. E além de tudo, não é bom de debate. Se houver segundo turno, pretendo jantá-lo, com o perdão da analogia tosca, sei que você gosta dessas metáforas popularescas. Quando puder, mande um abraço para o Zé Dirceu, que surpreendentemente tem me ajudado bastante. Para cada gafe do Mourão, o Dirceu dá uma declaração desastrada, está saindo muito melhor que a encomenda. Por favor, deixe-o falar, não é hora de repreendê-lo.

Antes de terminar, queria lhe dizer que darei muita força à Lavajato, e pelo andar da carruagem, ano que vem você tomará outra condenação. Também vou caprichar na escolha dos ministros do STF, só nomearei um pessoal ‘casca grossa’, bandido não terá mais moleza por lá, esteja certo disso.

Enfim, caro Lula, nada disso seria possível sem você, eu sou o filho bastardo do casamento do seu discurso de ódio com a sua soberba. Estou pronto para subir a rampa do Planalto, e quando isso acontecer, eu o terei em meus pensamentos. Quando dizem que sou despreparado, eu lhe menciono como contra exemplo, até nisso você me ajuda! Afinal, me considero mais capacitado que você e sua sucessora, a mais inepta. Isso pode não ser grande coisa, mas é um avanço.

Prometo que em meu governo você não será esquecido. Afinal, ele será seu maior legado. Obrigado, amigo, muito obrigado.

Faço votos de que tenha um ‘excelente’ Domingo!

Um abraço, Jair.

2 Comments
0

2 Comentários

  1. Avatar

    SIMONE DE BARROS BARBOSA

    6 de outubro de 2018 em 12:49

    Excelente “diálogo”.

Deixe uma resposta

Send this to a friend