Diálogos pueris

image

O trânsito em marcha lenta tem potencial para ser uma das situações mais irritantes em nosso cotidiano. Não se você tiver a tiracolo dois guris de quase cinco e três anos e meio, confabulando sobre o futuro:

‘ O que você vai ser quando crescer’?

O mais velho responde de bate-pronto: ‘ Bombeiro e lixeiro.’

‘ Lixeiro?’

‘ É, vou ser daqueles que correm  atrás do caminhão.’

‘ E você?’, estendo a pergunta ao mais novo

‘ Polícia!’

‘ Não, você não pode ser polícia! O ladrão vai atirar em você e daí você vai morrer!’, disse o mais velho, com autoridade de quem tem 17 meses a mais de estrada, além de algumas centenas de palavras de vantagem no vocabulário.

Conflito no ar. O mais velho não poderia arbitrar sobre o futuro do irmão. ‘Eu quero ser polícia!’, já ensaiando um chorinho. ‘Mas você não pode. O ladrão vai te pegar!’ Seguiu-se entre um debatei infantil sobre segurança policial. Pensei em perguntar se ele, sendo o incrível Hulk, não dizimaria os bandidos, mas preferi silenciar para ver onde a conversa iria parar.

Mais alguns instantes e o mais velho informa, triunfante: ‘ Pai, ele não vai mais ser polícia, vai ser ambulância!’. Olhei para trás e o caçula confirmou com a cabeça. ‘ Ambulância???’, perguntei surpreso. ‘ É pai, mas vai ser daqueles homens que cuidam do doente, não o motorista.’

‘Então você vai ser bombeiro e lixeiro e seu irmão enfermeiro de ambulância?’

‘ Eu também vou ser lixeiro!’

‘ É pai, a gente pode ser duas coisas. Mas ele vai ser o motorista de caminhão!’, e o caçula confirmava a orientação do mais velho, a essa altura um expert em testes vocacionais.

‘ Então um vai ser o motorista do caminhão de lixo e o outro o lixeiro correndo atrás do caminhão?’

‘ Siiiiiim!’. E uma longa e sonora gargalhada dupla ecoou no banco de trás.

‘ Mas também vamos ser bombeiro e ambulância!’

E assim o pesado trânsito paulistano naquela manhã ficou leve. Crescer é mesmo chato.

 

1 Comment
0

1 comentário

  1. Márcia

    13 de junho de 2015 em 22:27

    Muito bom curtir essas conversas…crescer dá muito trabalho e trabalho é o que mais temos que fazer na vida.
    O meu filho mais velho queria ser bombeiro até os sete anos….mudou pra medicina.No ano passado curtiu umas ambulâncias do Samu…fazia parte das aulas de graduação na medicina.

Deixe uma resposta

Send this to friend