Festa na pensão da ‘Dona ZR’: o filho pródigo voltou!

image

 

‘Toc, toc, toc’ , alguém bate à porta da pensão da Dona ZR. Lugar simples, quase na entrada da quadra B, mas frequentado por muita da gente da elite, que adora as coxinhas e os pastéis da casa…

Dona ZR abre a porta, e dá um grito de satisfação ao perceber o retorno do seu hóspede preferido: ‘ São Paulo, meu menino!! como é bom tê-lo de volta!! Estava morrendo de saudades, você saiu sem avisar, fiquei com medo que não voltasse mais!’

São Paulo, meio constrangido, abraça a dona da Pensão e murmura: ‘ Desculpa, Dona ZR, desculpa. Meu tio Muricy tentou me convencer a ficar na minha casa do Morumbi, mas o clima lá não está muito bom, então resolvi voltar para cá. Aqui nós comemos a melhor galinha ensopada da cidade, sem contar a buchada de bode! Aquele povo da elite não sabe o que está perdendo!’

‘ Menino, não há ninguém dessa tal elite que não tenha vindo provar os meus quitutes. Alguns tem vergonha, ficam pouco tempo e vão embora. Outros passam longas temporadas comigo. Eu não ligo para o falatório, sei que a minha pensão é popular em todos os cantos da cidade!! E você, menino? Ficará até o final do ano agora? Você sabe que eu só tenho quatro quartos e nessa época começa a aparecer muita gente interessada…e outra, seu padrinho Juvenal já pagou a sua estadia até o final do ano!!! Pare de dar ouvidos ao seu tio, relaxa e fica com a gente!!!, finalizou esperançosa a Dona ZR, aguardando uma confirmação do São Paulo…

‘ Dona ZR, a senhora sabe que eu quero muito ficar aqui, mas de vez em quando me bate uma saudade dos meus tempos da mansão, das festas que a gente oferecia, vinha gente de todos os lugares do mundo….

‘ Eu sei, menino, não deve ser fácil, mas você tem que aprender a não viver com nostalgia. Essa fase pertence ao passado! Curta o seu novo momento! Olha só o seu vizinho Palmeiras…esteve o ano passado inteiro comigo, foi morar na quadra B e está fazendo o maior sucesso por lá, é o rei da gafieira e está pegando geral…!’

image

‘ Eu fiquei sabendo, Dona ZR’, respondeu um São Paulo mais relaxado, já se acomodando no sofá da sala. ‘ E onde está a minha portuga? Estou com saudades da minha bigoduda! Cadê ela?’

‘ Depois que você foi embora, a Portuguesa saiu daqui toda marrenta e desaforada, disse que não voltaria mais. Soube até que ela distribuiu umas bofetadas no Mano Curinthia, o pobre coitado caiu de quatro no chão e tomou umas sacoladas! Só que ela esqueceu umas coisas no quarto, eu ainda acho que ela volta antes do final do ano…’

‘ E o Mano Curinthia? Tem mandado notícias?’, São Paulo perguntou curioso.

‘ Olha, São Paulo, eu sei que você não vai com a cara do Mano, e que vocês vivem trocando sopapos. Eu não tenho nada a ver com isso, o Mano sempre frequentou minha pensão e era uma grande alegria dessa casa. Mas foi só ele fazer a primeira viagem internacional, isso depois de já ser um velho marmanjo, que ficou todo metido, nariz empinado. Agora eu ouvi dizer que conseguiu dinheiro público, de corrupção, e está construindo uma casona lá na Zona Leste! E mesmo com toda essa pose, dia desses eu o peguei contemplando a minha pensão, lá da esquina! Ele deve estar com vergonha por ter ficado dois anos sem dar as caras, mas tenho certeza que está morrendo de saudades do meu pastel! Logo ele baterá nessa porta! Eu costumava dizer, antes dele começar com essa história de viagens internacionais, que o lugar dele era aqui. E ainda acredito nisso! Meu sonho, São Paulo, era passar uma temporada com vocês dois na minha pensão! ‘

São Paulo, que adorava a sociabilidade da Dona ZR e se surpreendia com tantas histórias que ela contava sobre todos na cidade, contestou rapidamente: ‘ Dona ZR, infelizmente, eu e o Mano Curinthia jamais viveremos sob o mesmo teto, sai briga. Aquele safado espalhou boatos sobre a minha sexualidade e eu não o perdôo por isso!’

‘ Ok, São Paulo, não vamos falar mais nisso! Você sabe que é o meu hóspede preferido esse ano!!! E mais tarde eu prometo que te ajudo com moradia na quadra B, você irá amar viver lá por um tempo, será uma experiência que o tornará mais humano!’

São Paulo desconversou. Essa hipótese de viver na quadra B ainda o assustava. Logo ele, que sempre se notabilizou por ser um tremendo ‘ mauricinho’…e para mudar a direção da prosa, perguntou: ‘ Tem notícias do Flamengo, Dona ZR?’

‘ Adoro aquele carioca malandro! Ele sempre me liga, me manda flores. diz que sente um amor platônico por mim, e que logo irá largar tudo para viver aqui! Já ameaçou fazer isso várias vezes, mas na hora ‘h’, refuga. Mas não será esse ano, meu querido. 2013 será seu, meu São Paulinho!’

Já bastante à vontade, São Paulo perguntou: ‘ Dona ZR, quem é que ocupou meu quarto enquanto eu passeava com meu tio Muricy?’.

‘ Você nem vai querer saber, meu Tricolor !’, contestou imediatamente uma irada Dona ZR. ‘ Foi o Vasco! Aquele vigarista passou cinco noites aqui e me pagou com um cheque sem fundo! Caloteiro! ‘

‘ Coitado, dona ZR! Fiquei sabendo que está cheio de agiotas atrás dele, o infeliz está devendo as calças, nem água tem em casa!’

‘ Eu soube, São Paulo, eu soube! Mas isso não é problema meu! Se eu encontrar esse caloteiro na rua, eu chamo a polícia para prender esse vagabundo. E eu sei que ele está rondando a área, ah se eu pego o vascaíno, eu faço picadinho dele!’

São Paulo não disfarçou o sorriso. Ele se satisfazia em ser o preferido da Dona ZR. Ela tinha fama de quase todo ano escolher alguém da elite e tratar a ‘pão-de-ló’. Seu vizinho, Palmeiras, gostava tanto dela que se tornou praticamente sócio da pensão. E pelas notícias que ouvia, estava super feliz em sua casinha na quadra B. Apesar do receio, no fundo São Paulo sabia que uma temporada lá iria fazer bem a ele. Dona ZR tinha razão, ele precisava de um banho de humildade…

‘ Dona ZR, quem mais está aqui na pensão?’

‘ O Náutico, coitado, não sai do quarto e vive com anti-depressivos. A Ponte Preta, que está morrendo de saudades do namorado, o Bugre, que mora lá na quadra C. Eles vivem às turras, mas estão combinando de comprar juntos em um sobrado na quadra B, ano que vem. E tem também o Criciúma, que já me avisou que em 2014 uns parentes dele lá do sul querem fazer reserva antecipada para o ano inteiro…mas o melhor quarto aqui é o seu, meu Sampinha!!! Que bom que você voltou!!! Vou até a cozinha preparar umas coxinhas para gente!’

Dali a dois minutos, a Ponte Preta apareceu. Surpresa e feliz ao ver seu amigo São Paulo de volta, ela disse: ‘ São Paulo!!! Que alegria!! Senti muitas saudades!!! Você lembrou de trazer o DVD das Poderosas?’

‘ Claro!! Está aqui comigo!’

‘ Yesssssssss!!!’ Exclamou a Ponte Preta, ‘ Hoje tem balada na pensão da Dona ZR!!!’

 

 

0 Comments
0

Deixe uma resposta

Send this to friend