Memórias de uma vida especial – Livro digital

 

Em Dezembro/11, próximo do primeiro Natal sem a presença de meu pai, tive a ideia de homenageá-lo com um livro. Seria impossível e menos efetivo que eu o fizesse sozinho, pois  participei de 38 dos seus 65 anos. Uma homenagem completa devia abordar a vida inteira. Imediatamente compartilhei o projeto com minha mãe (Sonia) e meus irmãos (Caroline, Tatiana e Guto), que prontamente abraçaram a causa. O objetivo inicial era lançá-lo por ocasião do aniversário de partida de 1 ano do pai, no final de Junho.

A ideia era que todas as pessoas próximas, fossem amigos, parentes ou clientes, participassem do livro escrevendo um depoimento ou história sobre passagens da vida do meu pai, que por si só dessem luz à sua personalidade, evitando com isso que fosse uma série de trechos repetitivos. Elaboramos uma lista com setenta e poucos nomes que poderiam fazê-lo, cobrindo desde períodos de infância até a maturidade e iniciamos o processo de contactá-los, um a um, convidando-os a participar do projeto.

Tínhamos o intuito de colher todos os depoimentos até o final de Março. Uma janela de tempo teoricamente razoável para que as pessoas conseguissem ´inspiração´. Não se trata de tarefa tão simples, pois você precisa resgatar alguma história e colocá-la no papel. De bate-pronto, é difícil. Visualize-se na situação: se alguém lhe pedisse para contar uma história sobre algum amigo querido, o quão fácil seria concretizá-la no papel? Por essa razão, já contávamos com uma participação menor do que o total de convidados. Dos 75 abordados, se conseguíssemos  mais que 50 depoimentos, estaríamos satisfeitos. Ao final do período, felizmente atingimos a marca de 55 co-autores.

Em paralelo, iniciamos a busca por fotografias que recheassem o livro e para nossa felicidade, os registros eram riquíssimos e fartos. Meu avô paterno sempre teve o hábito de fotografar tudo e o acervo de fotos de infância é tão vasto quanto o de adulto na era pré-digital. O mais difícil aqui seria selecioná-las…

Em Abril já tinhamos todos os textos capturados em arquivo e dali em diante viria a fase mais complicada, que era o trabalho de diagramação e edição. No início, eu pensava em fazer isso por conta própria, mas a realidade muitas vezes contraria a sua vontade. Seguramente eu não teria disponível uma matéria prima essencial para seguir adiante com a qualidade que eu desejava imprimir ao projeto: tempo. Eis então que o destino resolve ajudar; em uma conversa despretensiosa com um amigo sobre o assunto, ele me diz conhecer duas jornalistas que faziam esse tipo de trabalho e que recentemente haviam compilado um pequeno livro homenageando seu pai, por ocasião do seu aniversário de 90 anos. Foi então que eu conheci  Ana Cardilho e Sonia Pedrosa (´Era uma vez a sua história´), que a partir dali tocariam a parte mais difícil do projeto: converter um punhado de textos e milhares de fotos em um livro!

Aproveitando-me do expertise de ambas, solicitei que elas entrevistassem umas 10 pessoas do círculo de convívio do meu pai, para que pudessem elaborar uma breve biografia para cada fase de sua vida. Assim, o livro cobriria essas diferentes etapas com um relato profissional, permeado com fotos e histórias da época. À essa altura, já visualizava  o produto final com a qualidade muito superior ao que havia imaginado inicialmente e já havia abdicado da data de lançamento em Junho.

A partir de um arquivo em ´word´ de quase 150 páginas e três sacolas com material fotográfico, bilhetes, cartas e afins, e quase 10 horas de conversa com pessoas próximas ao meu pai, Ana e Sonia partiram para a elaboração do livro. O resultado não poderia ter sido melhor. São 291 páginas e quase 350 ilustrações, com papel e capa de primeira qualidade, pois o objetivo é que o livro sobreviva por gerações a fio. Não há intenção comercial. A edição de 220 unidades foi estabelecida para atender a demanda das pessoas que conviveram com o meu pai e que se interessam em guardar as suas memórias de maneira especial.

Trata-se de uma vida comum, como a de tantos. Mas que dentro de sua normalidade, repleta de virtudes, conquistou a amizade e admiração e impactou positivamente a vida de algumas outras dezenas de pessoas, que conviveram com ele mais proximamente. No fundo, é isso que importa. Ao final de nossa jornada, que legado deixamos aos que nos cercaram.

Esse foi o meu maior objetivo do ano de 2012, acima de quaisquer outras prioridades pessoais e profissionais. Fico extremamente feliz que tenhamos conseguido eternizar a memória do meu pai.  Além dos amigos e parentes, seus netos, bisnetos e tatarenetos terão acesso a sua história, contada por 55 pessoas, e irão se orgulhar de fazer parte dela!

Gostaria de agradecer imensamente a todos aqueles que participaram desse projeto, aos 55 colaboradores que dedicaram uma parte do seu tempo para escrever, à Ana Cardilho e Sonia Pedrosa, que foram simplesmente brilhantes, e à minha mãe e irmãos, companheiros nessa empreitada inesquecível!

O livro encontra-se disponível em sua versão digital, basta clicar no link abaixo e fazer o download. Também produzimos um vídeo-documentário sobre ele, mas esse será tema de outro post.

 

Clique aqui para fazer o download o Ebook, gratuitamente.

4 Comments
0

4 Comentários

  1. Carla

    21 de outubro de 2012 em 12:40

    Que bela iniciativa! Seu pai, com certeza, esta muito contente e orgulhoso.

  2. Andréa

    21 de outubro de 2012 em 23:04

    Que homenagem bonita! O resgate do legado de uma vida é um grande material para reflexão de todos nós. Parabéns pela iniciativa e a conquista deste objetivo!

  3. sonia pedrosa

    22 de outubro de 2012 em 08:45

    Victor, foi uma honra e um prazer enorme ter participado desse projeto. Assim, conhecemos a linda história do Dr. Carlos Vitor e sua família. Ajudando a escrever o livro do Dr. Carlos, só nos deparamos com lições de amor, amizade, companheirismo, parceria, cidadania, respeito, fidelidade, profissionalismo. E isso, a gente vai levar pra sempre! O exemplo de Dr. Carlos Vitor, seja como pai, marido, profissional ou amigo nos emocionou durante todo o tempo que trabahamos no livro. Ele e vocês estarão para sempre nas nossas boas lembranças, nos nossos corações. Tenho certeza que, mais adiante, netos e bisnetos terão muito orgulho do avô, e agradecerão a vocês pela incialiva.
    Um grande abraço,
    sonia pedrosa

  4. ana cardilho

    23 de outubro de 2012 em 14:03

    Faço minhas as palavras de Sonia Pedrosa: foi um privilégio participar desse projeto. O exemplo de vida do Dr Carlos Vitor estará sempre conosco. Esse é o princípio do “Era Um Vez…a sua história”: resgatar memórias, tirar fatos e lembranças das caixas, soprar o pó, trazer para o hoje e deixar o registro para outras gerações. Um grande abraço a toda linda família do Dr Carlo Vitor, Ana Cardilho

Deixe uma resposta

Send this to friend